Projecto Neemias





projeto neemiasPROJETO NEEMIAS

Reestruturação da missão da
Igreja Evangélica Lisbonense (Presbiteriana)

Tal como Neemias foi um instrumento nas mãos de Deus para restaurar a identidade de Jerusalém – o seu muro, o seu culto e o seu povo -, também os membros da Igreja Lisbonense (e todos os homens e mulheres, Instituições e Igrejas, que se revêem na missão desta Igreja) são chamados HOJE a assumir um papel importante na reestruturação da missão da Igreja Lisbonense na cidade de Lisboa.

Possamos ORAR como Neemias:

Recorda-te que disseste a Moisés que havias de nos dispersar por toda a parte, se nós transgredíssemos os teus preceitos. Mas também disseste que, se nos convertêssemos e cumpríssemos os teus mandamentos, ainda que estivéssemos desterrados nos confins do mundo, havias de nos reunir e fazer regressar ao lugar escolhido para lá ser adorado o teu santo nome. Nós somos teus servos; somos o teu povo que libertaste com o teu poder e a tua força. Escuta agora a minha oração e as orações dos outros servos que te querem honrar… (1:8-11).

Projeto de obediência

Tendo por base a necessidade da Igreja cumprir a Grande Comissão, dada por Jesus e plasmada nas suas palavras em Mateus 28:19-20,

Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos. Batizem-nos em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo quanto eu tenho mandado. E saibam que estarei sempre convosco até ao fim dos tempos,

a liderança da Igreja Lisbonense está comprometida com a necessidade de centrar, de uma forma mais real, a vida comunitária em torno da Palavra de Deus, expressa de forma suprema em Jesus Cristo. Para esse propósito haverá em 2015-2016:

  • Tema único de ensino na Escola Dominical para todas as classes, centrado em Deus Pai;
  • O início de Grupos Familiares de estudo da Palavra;
  • A restruturação da missão da Igreja (e por consequência do seu edifício).

Projeto de esperança

A Igreja é um organismo vivo que tem, obrigatoriamente, que se reproduzir e multiplicar. Ou seja, a Igreja tem de responder de forma responsável à necessidade de «fazer discípulos»! Podemos escolher vários caminhos, mas, como Igreja, somos impelidos a responder a essa chamada dando a possibilidade a que os jovens de hoje se responsabilizem, desde já, pela forma como trabalharão as suas decisões futuras. Essa responsabilização fará com que não sejam somente melhores discípulos, mas tornará melhor a sociedade onde vão tomar as suas decisões.

Estando no centro de Lisboa e sendo uma comunidade que pretende dialogar com a cidade, a liderança da Igreja propõe a reestruturação do edifício da Igreja de forma a possibilitar a permanência, temporária, de estudantes universitários. A finalidade é construir um local de reflexão teológica centrada na visão da fé que os mais diferentes estudantes possuem, do trabalho e do papel que a Igreja pode ter nas cidades!

Mais do que abrir as portas para a sociedade, este é um projeto que pretende ajudar os futuros homens e mulheres licenciados a decidirem sempre por Cristo, seja qual for a sua profissão.

Para esse fim, e tendo em conta a necessidade óbvia de obras no espaço de culto, há que reformular a ocupação de todo o edifício. Haverá quatro pólos de intervenção neste Projeto, a saber: 1) andar para uso dos Estudantes Universitários; 2) reestruturação do Salão Social e das suas valências; 3) reestruturação do Espaço de Culto; e, 4) extras.

Plano de Intervenção

  1. Andar para uso dos Estudantes Universitários

Será o espaço onde os estudantes universitários poderão viver em regime temporário, tendo acesso a casas de banho e cozinha comum.

  1. Reestruturação do Salão Social e das suas valências

O salão passará a estar dividido entre o espaço dedicado à Escola Dominical da Igreja (2 salas) e o espaço comum que poderá ser usado tanto pela Igreja (parte social) como para atividades em conjunto com os estudantes que irão habitar no edifício.

  1. Reestruturação do Espaço de Culto

Parte fundamental do projeto é restaurar o local de culto, de forma a dar maior dignidade a um espaço que se tem vindo a degradar com o tempo.

           4. Extras

De forma a aproximar a Igreja da sociedade que todos os dias passa diante de nós, há alguns extras necessários, assim como o fundamental plano de segurança.

Conclusão

Este é um projeto que não nasceu da necessidade de a Igreja necessitar de obras (que é uma verdade), mas da vontade da Igreja Lisbonense ter um diálogo sincero com a cidade de Lisboa. Para isso, é nossa intenção tocar a vida de homens e mulheres que viverão a sua fé em Cristo onde quer que o seu pé pise.

A obra apresentada terá o seu início em Janeiro de 2016 e a inauguração do espaço será no dia 19 de junho de 2016, domingo, altura em que celebraremos 118 anos de história como Igreja Reformada.

Este é o desafio que lançamos. Que possa haver entre os crentes da Igreja Lisbonense, assim como em todos aqueles que se cruzaram ou reconhecem validade na missão desta Igreja, um espírito de compromisso e doação para a obra que se pretende edificar no centro da cidade de Lisboa, para honra e glória de Deus.

As doações poderão ser feitas através de:

  1. Transferência bancária para o Banco Millennium BCP
    Conta nº 45479876095 / NIB 0033 0000 45479876095 05
    IBAN: PT50 0033 0000 45479876095 05 / Swift: BCOMPTPL

Ou

  1. Cheque ou vale postal para:
    Igreja Evangélica Lisbonense, Rua Febo Moniz, nº 17-19, Anjos
    1150-125 Lisboa – Portugal

Com o objetivo de projetarmos de forma consciente o financiamento da obra pedimos que, o mais rapidamente possível possam dar-nos uma orientação sobre o vosso contributo.

Gratos, desde já, pela vossa amabilidade em conhecer o nosso Projeto. Podem estar certos que oramos por cada um vós.

Apresentação da comunidade

A Igreja Evangélica Lisbonense (Presbiteriana) tem origem na obra evangelizadora de Júlio Francisco da Silva Oliveira (1844-1911), português convertido na Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro, que começou a realizar reuniões de evangelização em sua casa na rua José Estêvão, em Lisboa, e, mais tarde, na rua de Angra do Heroísmo. Foi aí que, a 19 de Junho de 1898, se constituiu a Igreja Evangélica Lisbonense.

De regime congregacional, na sua origem, a Igreja Lisbonense aderiu ao regime Presbiteriano, que conserva até à data, em 1952. O atual edifício foi inaugurado em 1926, não tendo havido mudanças estruturais relevantes do mesmo desde essa data.

Hoje a Igreja Lisbonense apresenta-se como «uma Igreja Presbiteriana na sua forma de governo, uma congregação Reformada na constante interpretação que faz das Escrituras e uma comunidade Evangélica no seu espírito» (Visão da Igreja).

Relativamente aos membros, a Igreja é composta por 62 membros efetivos, 46 membros auxiliares, cerca de 10 visitantes regulares e 10 crianças/adolescentes.

Os nossos membros são, maioritariamente, de classe média, sendo que o desemprego e as baixas reformas são uma realidade da nossa comunidade. Contudo, é com grande sentido de gratidão e doação que esta comunidade abraça e se compromete com o «Projeto Neemias», certa de que não poderá pedir mais ajuda e esforço do que aquilo que está disposta, por si mesmo, a fazer.

geral@igrejalisbonense.org

Comments are closed